• CarlaRibeiro

“Se eu gastar muito no ginásio, posso comer mais?”

Hoje em dia, é comum ir ao ginásio ou praticar algum tipo de exercício físico para compensar uma alimentação descuidada. Mas qual é a verdade disto? Mais desporto compensa uma má alimentação?

Será que fazer mais exercício físico compensa os excessos alimentares? Este é um paradigma que devemos começar a banir do nosso estilo de vida

De acordo com o objectivo de cada um, uma dieta equilibrada é o pilar fundamental para a saúde e bem-estar. Se complementarmos com uma boa dose de exercício físico regular e descanso adequado, os resultados serão visíveis.


O erro mais frequente é compensar o excesso de calorias com um aumento da carga de treino, mas atenção que nem sempre mais é melhor! O que acontece é um aumento dos níveis de cortisol (hormona causada pelo stress), causando uma maior concentração de gordura e uma perda significativa de massa muscular.



Devemos ter em conta que a qualidade e o equilíbrio da nossa alimentação é crucial para melhorar a nossa composição corporal, o que faz reduzir os níveis de gordura de forma optimizada mantendo a nossa massa muscular.


A crença de “se eu gastar muito posso comer muito” é um paradigma que devemos começar a banir do nosso estilo de vida. É comum muitas pessoas irem ao ginásio diariamente, sem obter grandes resultados, porque acreditam que esse exercício equilibra os maus hábitos alimentares. O que acontece é que isso pode levar à frustração, estagnação e ao overtraining, uma espiral que pode resultar em fadiga crónica e mau funcionamento do nosso metabolismo.


Uma das justificações óbvias para o facto de não podermos compensar um excesso calórico inadequado com o exercício deve-se ao funcionamento das nossas hormonas, como, por exemplo a insulina, que é responsável pela conversão dos carboidratos (açúcar), em energia. Níveis excessivamente altos de insulina, devido à dieta excessiva e não saudável, podem causar a interrupção da queima de gordura.


Devemos ter em conta que que a insulina é responsável por remover a glicose do sangue e transportá-la para o fígado e para as células musculares, convertendo-a em glicogénio. Se esses depósitos estiverem cheios, serão armazenados na forma de gordura.


Além disso, o excesso de exercício físico, aliado a uma recuperação inadequada e uma má nutrição, pode levar o organismo a resistir à insulina. Este facto, combinado com altos níveis de cortisol, é prejudicial para a perda de peso graxo e para a melhoria da composição corporal.


Conclusão, opte pela combinação perfeita, nutrição saudável e exercício físico moderado.

Por: Dr. Felipe Isidro, Catedrático em Actividade Física e Saúde, responsável pelo Dpt. de Actividade Física da PronoKal Group


www.pronokalgroup.com


#must #revistamust #itmustbegood #PronoKal #perdadepeso #gordura #dietasaudável #exerciciofisico #ginasio #nutriçao #alimentaçao #estilodevidasaudável @it.must.be.good