top of page
  • Foto do escritorbegoodmust

Luísa Sobral apresenta "Serei Sempre uma Mulher"

“Serei Sempre uma Mulher” é um dos temas que integra 'DanSando', o mais recente álbum de Luísa Sobral. Depois de “Gosto de Ti”, a cantautora escolheu este tema como segundo single do álbum, desenvolvendo um vídeo no qual é a única participante e pretende retratar muitas das injustiças e violência a que as mulheres são expostas sem, no seu entender, nunca desistirem da sua força.

Foto: Ana Paganini

Luísa Sobral contextualiza da seguinte forma a importância que esta canção tem para si e o que a levou a escrevê-la:

"Sempre pensei que só houvesse um sentido no caminho para a igualdade de género e racial, em frente. Para mim seria impensável as mulheres poderem perder o direito a votar ou voltarem os transportes públicos divididos por zona de negros e zona de brancos. O mundo onde eu julguei habitar não era ainda igualitário mas caminhava nesse sentido, mesmo que por vezes com passos curtos e vagarosos e com ritmos diferentes em diferentes partes do mundo. Foi então que assistimos a um retrocesso assustador nos direitos da mulher no Afeganistão. Perderam o direito à educação, perderam a liberdade de escolher cobrir ou não a cabeça e deixaram de poder andar sozinhas na rua. Caiu de novo o véu da invisibilidade sobre as mulheres afegãs. Foi a pensar nessas mulheres que escrevi esta canção, sem saber que uns meses mais tarde morreria Mahsa Amini, uma mulher iraniana a quem foi retirada a vida por usar o hijab de forma inadequada. Nesse dia a minha canção tornou-se sobre ela também e sobre todos aqueles que quiseram vingar a sua morte com protestos, muitos deles perdendo a vida ao fazê-lo.

Esta é a minha forma de protesto, pela Mahsa, pelas mulheres iranianas e afegãs, e por todas as mulheres que nas suas vidas e profissões se sentem inferiorizadas. Porque ainda acredito que o caminho seja para a frente, mesmo que às vezes se dê dois passos atrás."


Com realização de Filipe C. Monteiro, este vídeo conta com um argumento partilhado por Filipe C. Monteiro e Luísa Sobral que sempre teve uma ideia muito clara de como transportar as emoções que esta música lhe despertam para a tela.




“Serei Sempre uma Mulher” será um dos temas a ser apresentado ao vivo na digressão “DanSando” que tem início este sábado, dia 28 de janeiro, no Cineteatro Municipal João Mota em Sesimbra perante uma sala completamente esgotada.


Em fevereiro, a digressão passa ainda pelo Auditório Carlos do Carmo em Lagoa (4 FEV), pelo CCC nas Caldas da Rainha no âmbito do festival Montepio às Vezes o Amor (11 FEV), pela Casa da Música no Porto (18 FEV) e pelo Teatro Tivoli BBVA em Lisboa (25 FEV).


Estes espetáculos foram pensados e desenvolvidos em conjunto com Bruno Duro, diretor musical que teve como desafio transportar para palco o disco “DanSando” que apresenta uma estética mais pop, com músicas escritas e cantadas em português que embalam o quotidiano com intimidade, doçura e esperança. Em palco, Luísa Sobral será acompanhada pelos músicos Manuel Rocha (voz e guitarra), António Quintino (baixo) e Carlos Miguel Antunes (bateria).


Explorando com leveza os terrenos da pop, e sem nunca perder os tons jazzísticos que definem uma autora dotada de uma entrega vocal enternecedora, “DanSando” é preenchido por 11 temas originais, guiados pela necessidade de cantar o amor, esse sentimento universal que dá cor à vida e “que nunca fez mal a ninguém”. A paleta temática e poética deste trabalho faz de “DanSando” um álbum íntimo e pessoal, mas também socialmente consciente e implicado, reunindo canções que tanto salientam a delicadeza lírica de uma autora empenhada em dar voz às emoções, como assume uma sonoridade propositadamente mais luminosa.


Esta proximidade é algo que Luísa Sobral quer trazer para os seus espetáculos ao vivo e para esta digressão em particular.

Comments


bottom of page