• CarlaRibeiro

Não deixe o seu dinheiro “voar”!

Aprenda a poupar algum...

À partida, receberá nos meses de Junho e Dezembro os subsídios de férias e de Natal.  Esses valores adicionais são a oportunidade perfeita para começar a economizar e criar o seu colchão financeiro.



No mundo das finanças pessoais, regra geral, recomenda-se pôr de parte toda ou a maioria de qualquer renda extra que se receba. Supõe-se que com o salário consiga cobrir, pelo menos, as suas necessidades principais e o restante deve poupar, para salvaguardar alguma despesa adicional ou investimento no futuro.


No entanto, a realidade nem sempre é esta e os pagamentos extras vão tão rapidamente quanto chegam. Aparecem na sua conta geralmente em dois períodos-chave do ano em que as despesas se multiplicam: Verão e Natal. Muitas pessoas investem tudo numas boas férias ou em presentes para a família.


Poupar o valor dos seus subsídios de férias e de Natal consiste em trabalhar o seu autocontrolo e em ser muito mais organizado no que respeita às suas finanças. Não se trata de fechar totalmente a “torneira” e de não se permitir a caprichos, mas sim equilibrar a balança.

O ideal seria não incluir os pagamentos extraordinários no seu esquema de gastos anuais, e sim colocá-los de parte, pelo menos uma percentagem. Desta forma, será capaz de iniciar a máquina de poupança e começará a ver o seu mealheiro engordar a pouco e pouco. 


Siga estas dicas da Adecco:

  1. Guarde sempre uma parte Mal receba um valor extra faça uma transferência para a sua conta poupança. Assim, evita cair em tentações e garante alguma economia. Neste caso, o mais complicado é decidir qual a percentagem que pretende pôr de parte, pelo que é recomendável pelo menos 30% e ir aumentando o máximo possível.

  2. Planifique as suas despesas A chave para poupar é planear e saber muito bem quais as despesas que terá em cada momento. Logicamente, podem surgir imprevistos, mas isso deve ser pontual. Por exemplo, quando recebe o subsídio de férias, precisa de ter clareza sobre a quantia exata que vai receber e quanto precisará para as suas férias. Dessa forma, pode calcular se pode poupar esse valor ao longo do ano e deixar o pagamento extra intacto.

  3. Faça orçamentos Está intimamente relacionado ao planeamento, mas fazer estimativas dar-lhe-á uma ideia precisa do dinheiro que precisa para cada ocasião: feriados, presentes, jantares de Natal... Determine uma quantia para os diferentes itens, como se de uma empresa se tratasse, e siga-a com rigor, controlando bem os gastos. Para que o valor extra não se desvaneça, é essencial manter o seu orçamento e não gastar mais do que o estipulado.

  4. Não vá directamente às lojas Na altura de receber o subsídio de férias chegam as promoções de Julho, o que também acontece em Janeiro, pouco depois do subsídio de Natal. Os saldos podem fazer o seu planeamento ir abaixo mais rapidamente do que possa imaginar. Para evitar que tal aconteça, tente não visitar as lojas ou faça uma lista com o que realmente precisa. Compare preços e obtenha a melhor oferta, mas não caia em despesas desnecessárias.

  5. Não se deixe levar pelos impulsos É normal que, quando recebe dinheiro extra, sinta a vontade de comprar uma nova televisão ou fazer uma viagem...satisfazer um desejo seu. Pense se é algo que realmente precisa nesse momento ou, quiçá, se poderá realizá-lo poupando um pouco e sem recorrer a esse extra. É bom presentear-se a si mesmo de tempos em tempos, mas tente sempre fazê-lo sem causar um impacto negativo nas suas finanças pessoais.

#must #itmustbegood #revistamust #adecco #dinheiro #finanças #poupanças #poupardinheiro #finançaspessoais #economias #dinheiroextra @it.must.be.good