• CarlaRibeiro

As sapatilhas Sanjo voltaram!

A Sanjo está de volta com uma nova atitude. A ideia é fazer da Sanjo a marca que já foi, voltar a pô-la onde ela já esteve e fazer dela a maior marca de sapatilhas portuguesas, novamente fabricada em Portugal.



A Sanjo está de volta com uma nova atitude, trazendo os clássicos para os dias de hoje. As sapatilhas são 100% produzidas em Portugal, com foco na qualidade, criando produtos exclusivos e um ADN único que a marca carrega há mais de 80 anos.

É mais do que uma sapatilha, é um legado que a marca quer que os portugueses façam parte, acabando por fazer da Sanjo a marca portuguesa de sapatilhas, difundida internacionalmente. Esta campanha concentra-se em trazer de volta aos olhos dos portugueses os dois modelos icónicos K100 e K200 e introduzir a continuação da Sanjo, os novos modelos que estão a produzir: K70, K80, N90, N00, RN10 e Y220.



Tudo começou em 1933

Em 1933 inicia-se em São João da Madeira, na Companhia Industrial de Chapelaria, a construção da primeira marca de sapatilhas portuguesa. Em honra à cidade que lhe deu berço, recebe o nome de Sanjo, ficando  estabelecida em 1936. Fabricados totalmente em Portugal, no final dos anos 40 e 50 já eram um fenómeno e eram encontrados nos pés de muitos os portugueses. Nos anos 80, os efeitos da competição com novos mercados começam a ser visíveis - apesar de tentar mudar o seu design e se adaptar, a Sanjo não consegue competir com a ascensão de marcas desportivas internacionais. Começa-se a sentir uma crise de identidade, em que a Sanjo tenta fugir à centralidade do desporto na sua actividade, mas acaba por não sobreviver. A Companhia Industrial de Chapelaria fechou as suas portas em 1996, junto com a Sanjo e a triste perda do molde das sapatilhas.



Em 1997, a marca é comprada e começa a sua segunda vida. Muito trabalho de pesquisa foi feito, investigando arquivos, colecionando sapatos antigos, imagens e fotografias antigas para conseguir material necessário para reproduzir o molde perdido das Sanjo.

Em 2010 a Sanjo regressa ao mercado com os dois modelos mais familiares dos portugueses, K100 e K200, tendo a produção sido deslocalizada para a China. Segurada por um revivalismo muito português, a marca começa a surgir de novo na memória dos portugueses.



Hoje volta com sapatilhas reinventadas

Em 2019 a Sanjo foi comprada pela M2BEWEAR, uma trading company de Braga, com accionistas de referência, com uma larga experiência na logística, na produção e no retalho.


Por acreditarem na continuação da história da Sanjo, e por acharem que o passado não só pertence ao futuro como o enriquece, propuseram-se a recuperar os anos perdidos em que a Sanjo esteve ausente do imaginário dos portugueses, voltando com sapatilhas reinventadas e apresentando uma nova Sanjo com uma atitude contemporânea. Mantêm-se os clássicos modelos K100 e K200, com um salto de qualidade mas com o mesmo look vintage, e apresenta-se uma nova colecção, com quatro modelos integralmente novos e, em dois casos, partindo da sola dos tradicionais K100 e K200 para criar dois novos modelos, numa reinterpretação do design clássico da marca. A produção é inteiramente portuguesa, estando centrada numa fábrica em Felgueiras. Trata-se assim do prolongamento de um conceito renovado, com novos produtos, novas técnicas de produção e maior qualidade de fabrico, mas acima de tudo, a mesma marca, à qual continuarão a ser acrescentados novos produtos nas coleções seguintes. A Sanjo volta para continuar a construir o seu legado e atravessar gerações, para continuar a ser uma imagem portuguesa com ambição internacional, sempre com uma postura contemporânea, dinâmica e capaz de criar novas tendências. Apresenta-se uma atitude diferente. Valoriza-se a história, que é trazida para o presente, mas é-lhe dado um futuro. 


www.sanjo.pt

www.instagram.com/originalsanjo

https://www.facebook.com/SanjoNewOldBrand/


#must #revistamust #itmustbegood #sanjo #sapatilhas #madeinportugal #moda #look #fashion #style #mood #estilo #sapatilhasSanjo