• CarlaRibeiro

A sensualidade da mulher no Museu do Oriente

Montanhas transformadas em corpos femininos, lingerie misteriosa e sensual e a floresta sob o brilho prateado do luar, são as temáticas da exposição de pintura chinesa “Paisagens Femininas e Segredos de Boudoir” que inaugura a 27 de Junho no Museu do Oriente.



A sensualidade da mulher surge aqui numa técnica que tradicionalmente tende a menorizar, quando não mesmo a censurar, a figura feminina. A autora Hong Wai usa o pincel chinês como se este fosse um fio de seda e, como uma habilidosa rendeira, tece padrões rendados, uns atrás dos outros. Estes fios finos entrelaçam-se dando forma a corpos femininos, montanhas, florestas e lagos.



A pintura tradicional chinesa sob o olhar feminino O Museu do Oriente mostra a pintura tradicional chinesa sob o olhar feminino e moderno de Hong Wai, que transporta a tinta-da-china para a arte contemporânea e, através de uma perspectiva feminina, desenha linhas finas e elegantes, numa técnica que durante séculos era apenas destinada ao universo masculino. Segundo a artista, “enquanto que os homens representam o poder da conquista e um mundo de fronteiras, este mesmo mundo aos olhos das mulheres é mais terno e delicado, um mundo em que o humano e a natureza são plenos de possibilidades de conexão e transformação”.

As montanhas transformam-se em corpos femininos ondulantes   “Paisagens Femininas, Luar e Segredos de Boudoir” são as três séries apresentadas por Hong Wai nesta exposição. Na série Paisagem Feminina, a paisagem tradicional composta por montanhas e águas, a mais elevada metáfora espiritual e moral da pintura chinesa, é desconstruída pela artista sob a forma de voluptuosos corpos femininos. As montanhas, outrora vistas como forças energéticas que materializam o dragão, transformam-se agora em corpos femininos ondulantes e, a vegetação, na mais sensual lingerie, que também surge retratada na série Segredos de Boudoir, numa representação algo fantasmagórica, misteriosa e ao mesmo tempo sensual.

Atmosfera calma e poética Num outro registo, na série Luar a artista cria uma atmosfera calma e poética de uma floresta sob o brilho prateado do luar, que surge através de linhas desenhadas com uma meticulosa paciência e total foco de atenção. A combinação destas linhas, nós e traços tornam as suas obras elegantes e únicas.

Quem é Hong Wai? Hong Wai nasceu em Xangai (1982), cresceu em Macau e, desde 2005, reside e trabalha em Paris. Debruçou-se, no âmbito dos seus estudos na École des Hautes Études en Sciences Sociales, sobre a forma contemporânea do espírito artístico dos literati chineses. Expôs as suas obras pelo mundo, incluindo na Sotheby´s Gallery, em Hong Kong e no Museu de Arte em Macau, e participou em feiras de arte internacionais como a Art Sage de Singapura e a Art Taipei.

www.museudooriente.pt

#must #revistamust #itmustbegood #museudooriente #mulher #sensualidade #olharfeminino #exposição #arte #china #segredosdeboudoir @it.must.be.good