• begoodmust

Telefamília: Como conciliar o trabalho com o agregado familiar?

Atualizado: Fev 22

Telefamília. Uma palavra nova com um significado facilmente interpretado por todos que é cada vez mais parte integrante do vocabulário diário e uma realidade dos dias de hoje. Mas afinal que é uma Telefamília? Em síntese, uma família com horários e rotinas modificadas com limitações por imposição do Governo, em prol de algo maior para todos. Por Joana Freitas, Mental Coach.


Não podemos falar em Telefamília sem relembrar a importância da relação entre pai e filho que é criada na sua infância e terá um enorme impacto para toda a sua vida – quer seja na sua carreira profissional, na sua autoestima, na forma como lida com várias situações e nas relações que criam de caráter amoroso trabalho e amizades, aqui acresce a responsabilidade e cuidados dos pais nesta fase mais tensa não perder ou dificultar esta relação pai-filho.

Agora na zona de pânico o que fazer?

De uma forma geral, todos saíram da sua zona de conforto e entraram no que chamamos zona de pânico. Quando esta transição não é por vontade própria, gera emoções negativas – ansiedade, medos, stress – o que faz que o cérebro não filtra as informações como devia, fica sem clareza, o estado emocional altera-se e as ações podem não corresponder ao que gostariam.

Os pais têm novos desafios e por sua vez novas rotinas. Além do teletrabalho, têm de ser capazes de gerir a rotina dos filhos, as aulas (se estiverem em idade escolar), as brincadeiras as refeições entre várias. Normalmente, vão-se ajustando diariamente, sem qualquer planeamento, e o dia é passado em ação-reação – que poderá não correr como esperado.

A comunicação é a base do ser humano. Permite-nos expressar e entender o que estamos a sentir – além de ser das melhores armas de sempre – é a solução desta nova fase.

Os pais têm de conversar entre si com o propósito de estabelecer a rotina semanal tendo em atenção os horários de cada um, para que consigam tornar as semanas mais disciplinadas – tem de existir rotina para um ambiente saudável, pois os miúdos têm rotinas na escola e a mesma tem de ser transportada para casa. Esta conversa deverá usufruir de partilhas de forma bem heroica acerca deste momento que todos estamos a passar (e que faz de nós heróis).

É aqui que a situação começa a ter um caráter importante para as crianças e a captar a atenção deles.


Avaliar o estado emocional e criar novas rotinas.

Perceber, mediante tudo que está a acontecer, como todo o meio familiar se sente é muito importante. Se pudéssemos fazer algo que ajude a passar melhor o tempo em casa o que seria? Através desta conversa é possível obter muitas respostas que vão facilitar na organização da rotina familiar. Reunidas todas as situações hipotéticas, é mais fácil criar rotina familiar. Podem e devem ser criativos – como por exemplo os filhos ficarem responsáveis por a reciclagem da casa, pela alimentação do animal, por uma preparação de uma refeição (lanche) – mas não devem esquecer a necessidade colocar a energia a fluir através de exercícios físico em casa e em família, especialmente nos períodos com mais tempo livre.

O amor é a porção mágica para todos. Use e abuse deste sentimento tão forte para esta fase menos positiva. Agradeça. Todos estão bem de saúde e estão juntos e unidos. Veja esta fase como uma fase de fortalecer laços.

É um grande desafio gerir este novo conceito de telefamília mas, com um bom planeamento, todos somos capazes. Todos seremos heróis e esta fase fará parte da nossa história!


Por: Joana Freitas, Mental Coach


#must #itmustbegood #revistamust #telefamilia #teletrabalho #familia #emcasa #filhos #rotinas #confinamento #trabalho #familiaetrabalho