top of page
  • begoodmust

Como avançar na carreira quando se sente estagnado?

De forma geral, as pessoas permanecem estagnadas nas suas rotinas, com receio de ter ideias ambiciosas e “fora da caixa”, porque a sua incerteza em relação ao futuro as assusta demasiado. Urge então a necessidade de enfrentar o medo.



Estes últimos anos têm registado inúmeros desafios, quer para as empresas e para os seus gestores, quer para os seus colaboradores, nomeadamente no que respeita ao equilíbrio das crescentes pressões que se fazem sentir no mercado e nas pessoas. A gestão de modelos de trabalho híbrido, os desafios associados ao aquecimento global através de estratégias empresariais e subsistir diante da incerteza, são alguns exemplos da nova realidade laboral.


Este panorama revelou a emergência de um sentimento comum - o medo – que, para além de levar a um estado de estagnação, pode gerar comportamentos contraproducentes, uma vez que as pessoas tendem a adiar a ação devido ao receio de piorar determinada situação.

De forma geral, as pessoas permanecem estagnadas nas suas rotinas, com receio de ter ideias ambiciosas e “fora da caixa”, porque a sua incerteza em relação ao futuro as assusta demasiado. Urge então a necessidade de enfrentar o medo.


Neste sentido, a consultora de recursos humanos Kelly, enumera quatro fatores que deverá ter em conta para combater e enfrentar as manifestações do medo no trabalho, transformando a estagnação em ação já em 2023:

Da escassez à abundância

Existe um medo generalizado da escassez: de colaboradores, de clientes, de dinheiro. Como resultado, existe uma inibição do pensamento inovador e expansivo.

Para enfrentar este tipo de medo, pode experimentar o seguinte exercício: crie duas colunas numa folha de papel. De seguida, enumere os itens que estão a escassear numa coluna, como cortes orçamentais e valores relativos ao desgaste. Na segunda coluna, coloque os itens que são estáveis, como os pontos fortes da sua equipa ou a infraestrutura. Este exercício posiciona os medos em relação aos factos de uma forma clara e esclarecedora.

Do isolamento à abertura

O trabalho remoto veio expandir o horizonte laboral, permitindo a colaboração a um nível global. No entanto, torna-se mais fácil a priorização das relações presenciais, foco interno que limita as oportunidades do trabalho remoto enquanto potencializador de diversidade e work-life balance.

Este foco interno tende também a alimentar o medo do exterior e do desconhecido. A exposição gradual poderá ser uma boa forma de combater este receio, através da resposta à seguinte questão: “o que pode fazer esta semana (um único tópico) para sair da sua zona de conforto?”

Da estagnação ao movimento

Quando receia as consequências, pode eventualmente pensar que a inação é a melhor ação. No entanto, não fazer uma escolha é, por si só, uma escolha. Se a estagnação dificulta o progresso, o movimento desbloqueia-o. Ao invés de ignorar o processo de tomada de decisão inicie, por exemplo, um novo projeto e identifique qual o próximo passo.


De um ritmo alucinante a enfrentar o medo

Quando existe medo, surgem as listas de tarefas intermináveis para evitar confrontar esses mesmos receios. A celeridade de resposta a cada e-mail, mensagem ou invite para reunião nunca foi tão necessária como atualmente. Quanto maior é o medo que sente, maior o recuo perante aquilo que o assusta – e a crença de que estará demasiado ocupado para o enfrentar.

Opte por reservar 15 minutos na sua agenda para se desligar de todas as mensagens e do ritmo alucinante de trabalho. Aponte as suas “némesis”, isto é, os fatores que está claramente a evitar. Crie três colunas: o pior cenário possível, a situação atual e o melhor desfecho possível. De seguida, identifique o que seria necessário para culminar em cada uma das possibilidades. Se escrever detalhes por baixo de cada coluna, poderá descobrir que é mais provável que o pior cenário possível se mantenha caso não se mobilize noutra direção e mantenha a estagnação.

O medo por antecipação aumenta a probabilidade de concretização das previsões mais negativas. Este sentimento deturpa o foco e atenção no presente, bem como as escolhas certas para alcançar uma melhor versão do trabalho desenvolvido e de si mesmo. Ao invés de optar pela estagnação, adote estratégias para enfrentar o futuro.


Estes e outros conselhos relacionados com a sua carreira profissional podem ser encontrados no blogue oficial da Kelly Portugal.

#Must#itmustbegood #recursoshumanos #Kelly #KellyPortugal #carreiraprofissional #avançarnacarreiraquandosesenteestagnado #trabalho #emprego #carreira

bottom of page